Notícias

04 de março

Paranaenses pretendem gastar mais nesta Páscoa

Consumo de chocolates deve aumentar de  13% a 15%  na comparação com 2023

.

A Páscoa é uma data muito esperada pelos comerciantes e supermercadistas, pois, é um dos períodos do ano, em que a venda de chocolates é mais intensa e significativa. Neste ano, a data será comemorada no dia 31 de março, e uma pesquisa de expectativas de compras do consumidor realizada pelo grupo Datacenso, em parceria com a Faciap, mostra que 54% dos paranaenses pretendem comprar presentes e chocolates nesta Páscoa. O estudo indica, também, que o valor que os consumidores planejam gastar é de R$ 234,05.

.

Qualidade e preço

A qualidade dos produtos é o fator que exerce maior influência na decisão de compra de chocolates de Páscoa, especialmente entre os homens e aqueles com maior renda familiar. Em segundo lugar, destaca-se o preço, sendo mais relevante para o público mais jovem e para a classe social mais baixa.

.

Quanto aos tipos de chocolate que os consumidores paranaenses pretendem comprar, os mais mencionados são principalmente ovos de chocolate, seguidos pelos bombons ou caixas de bombons.

.

Pesquisa de preço

A maior parte dos paranaenses pesquisa os preços dos ovos de chocolates antes de comprar. Notadamente, quanto menor a renda, maior é o índice de pessoas que realizam essa pesquisa, que é realizada por meio de visitas a lojas físicas e também pela internet. 59% pesquisam nas lojas físicas, 53% na internet e 25% nas redes sociais.

.

Segundo Associação Brasileira de Supermercados (Abras) o consumo na Páscoa de 2024 deve crescer de 13% a 15% se comparado com o volume registrado em 2024.  Esta estimativa de aumento também está relacionada os preços de ovos de páscoa, que devem crescer em média 20%. Ainda segundo a Abras este crescimento esperado se deve ao fato de que as empresas se planejam melhor para a data este ano também há o lançamentos de produtos que despertam o interesse do público.

.

Perfil

Quanto ao perfil do consumidor paranaense entrevistado, houve um equilíbrio entre os gêneros. A faixa etária predominante é de 36 a 45 anos, seguida pelas demais que apresentaram índices próximos. Sobre a renda familiar mensal, a maior frequência está entre R$ 2.901 a R$ 7.100, seguida de R$ 7.101 a R$ 22.000.

.

*Com informações da Faciap*

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos que qualquer dúvida sobre os seus dados, você pode entrar em contato com o DPO da Acig, Margarete Freitas – dpo@acig.com.br(42) 3621-5501.