Notícias

07 de outubro

BRDE fecha trimestre com R$ 251,5 milhões em financiamentos

Fonte: Agência Estadual de Notícias

A agência paranaense do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) fechou o terceiro trimestre de 2016 com um volume de R$ 251,5 milhões distribuídos em cerca de 300 operações em todas as regiões do Paraná.
Apenas em setembro, a agência garantiu a aprovação de R$ 110,1 milhões em crédito para empreendedores. Os projetos aprovados referem-se à ampliação de indústrias, expansão de cooperativas e do agronegócio, compra de equipamentos e máquinas, projetos de inovação e empreendimentos na área do comércio, saúde e educação.
O diretor de operações do BRDE, João Luiz Agner Regiani, explica que os financiamentos do BRDE têm permitido que o setor produtivo continue a expandir suas atividades num momento crucial para a economia.
“Com a crise que ainda afeta todos os setores, precisamos garantir que os empreenderes dispostos a investir obtenham recursos para seus negócios e continuem a gerar emprego e renda e também tributos que movimentam a economia regional”, diz Regiani.
INVESTIMENTOS – Uma das empresas que recebeu aporte do BRDE no último trimestre é a Clone Viveiros, que atua com duas unidades, uma na cidade da Lapa e outra em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba. Considerada uma das principais empresas do ramo de produção de mudas frutíferas para clima temperado, a Clone contratou um R$ 1,7 milhão do BRDE.
Os recursos serão investidos na ampliação de uma a câmara frigorífica para armazenagem de frutas e mudas e para a instalação de uma tela de proteção contra granizo nos pomares. Roberto Hauagge, um dos sócios da empresa, explica que o viveiro não é apenas um produtor de mudas, mas atua também no desenvolvimento e teste de novas variedades de maçã, ameixa, nectarina, caqui e kiwi, entre outras frutíferas.
“Em comparação com outras culturas, como a soja, por exemplo, os frutos de clima temperado são muito pouco pesquisados e por isso mesmo variedades já desenvolvidas precisam passar por um período de avaliação antes de serem produzidas e colocadas no mercado. Só disponibilizamos uma variedade após esse período de avaliação”, lembra Hauagge, que é engenheiro agrônomo, mestre em Horticultura pela Universidade da Califórnia e doutor em Melhoramento Genético pela Universidade de Cornell, em Nova Iorque.
ESPECIALISTA EM CRÉDITO – Para Hauagge, o crédito através do BRDE é mais atrativo não apenas pelas condições de juro e prazo oferecidas, mas também pela agilidade no processo de análise. “O BRDE é especialista em financiamento de projetos. Por isso, eles são sempre muito objetivos na análise e é mais fácil conversar e apresentar projetos de financiamento”, diz o empresário.
Empresas como a Clone devem garantir que o BRDE alcance a meta prevista para aplicações em investimentos em 2016, que é de RS 1,3 bilhão. Para isso, a agência tem buscado a aproximação com potenciais clientes, como explica o superintendente da Agência Paraná do BRDE, Paulo Cesar Starke Junior.
“Além de um trabalho ativo de prospecção de projetos passíveis de serem financiados pelo BRDE, estamos avançando no financiamento à infraestrutura local das diversas microrregiões do Paraná. Também buscamos alternativas de fontes de recursos e oferecemos novos produtos, como o BNDES Soluções Tecnológicas, que será lançado nos próximos dias”, finaliza Starke.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos que qualquer dúvida sobre os seus dados, você pode entrar em contato com o DPO da Acig, Margarete Freitas – dpo@acig.com.br(42) 3621-5501.